EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA: leitura da paisagem como aporte na formação continuada de professores da rede municipal

Autores

  • Juliana Guimarães Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
  • Nilvania Aparecida de Mello Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
  • Giovana Faneco Pereira Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

DOI:

https://doi.org/10.18764/2236-4099v12n28.2022.8

Palavras-chave:

Plantas Alimentícias Não Convencionais (Panc), Educação em Solos, Paulo Freire, Clevelândia-PR

Resumo

A crise ambiental vivenciada atualmente atingiu níveis acentuados e preocupantes. Frente a essa realidade, faz-se necessário desenvolver ações que visem à incorporação da Educação Ambiental Crítica nas instituições de ensino. Essa perspectiva oportuniza a possibilidade de transformação social, que tem como pressuposto teórico Paulo Freire, subsidiando a formação continuada dos professores. O objetivo geral foi identificar a contribuição da Educação Ambiental Crítica utilizando como ferramenta a leitura da paisagem na formação continuada de professores da Rede Municipal de Ensino. A metodologia utilizada tratou-se de uma pesquisa-ação, com oficinas pedagógicas, tendo como instrumento de coleta de dados questionário estruturado, o estudo ocorreu em Clevelândia-PR. Como resultado, houve a incorporação dos princípios fundamentais da Educação Ambiental Crítica, com isso ocorreram melhorias no processo de ensino e aprendizagem e contribuições para a mitigação dos problemas socioambientais.

 

CRITICAL ENVIRONMENTAL EDUCATION: reading the landscape as a contribution to the continuing education of teachers in the municipal network

The environmental crisis currently experienced has reached high and worrying levels. Faced with this reality, it is necessary to develop actions aimed at the incorporation of Critical Environmental Education in educational institutions. This perspective provides the possibility of social transformation, which has Paulo Freire as a theoretical assumption, subsidizing the continuing education of teachers. The general objective was to identify the contribution of Critical Environmental Education using the reading of the landscape as a tool in the continuing education of teachers in the Municipal Education Network. The methodology used was an action research, with pedagogical workshops, using a structured questionnaire as a data collection instrument, the study took place in Clevelândia-PR. As a result, the fundamental principles of Critical Environmental Education were incorporated, which resulted in improvements in the teaching and learning process and contributions to the mitigation of socio-environmental problems.

Keywords: Unconventional Food Plants (Panc); Soil Education; Paulo Freire; Clevelândia-PR

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Guimarães, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Mestranda em Desenvolvimento Regional, Área de Concentração: Desenvolvimento Regional Sustentável, Linha de Pesquisa Educação e Desenvolvimento, pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Pato Branco. Especialista em Educação Infantil e Séries Iniciais, pela Faculdade Internacional de Curitiba (2007). Especialista em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade de Jovens e Adultos, pela UTFPR (2010). Especialista em Educação Especial: Formação Generalista com ênfase em surdez, pela Faculdades de Ciências Sociais Aplicadas (2011). Especialista em Neuropsicopedagogia e Educação Especial Inclusiva, pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (2012). Graduação em Ciências, Licenciatura Plena, Habilitação: Biologia, pelo Centro Universitário Diocesano do Sudoeste do Paraná (2005). Graduação em Pedagogia pela Universidade Castelo Branco (2010).

Nilvania Aparecida de Mello, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (1994), mestrado em Agronomia - Área de concentração física, gestão e conservação de solo-pelo Departamento de Solos e Engenharia Agronômica da Universidade Federal do Paraná (1996) e doutorado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006) e pós-doutorado em Filosofia da Ciência pela Joseph Fourrier University (França) Atualmente é professora titular da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase apenas em Gestão, atuando principalmente nos seguintes temas: plantio direto, qualidade ambiental, enfoque sistêmico, qualidade da água e do meio ambiente, educação ambiental.

Giovana Faneco Pereira, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Professora adjunta da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus Pato Branco. Doutora em Ciências Ambientais pelo Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais da Universidade Estadual de Maringá (UEM) (2012). Mestrado em Ciências Ambientais pelo mesmo programa (2007). Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá (2003). Atua na área de Taxonomia e Ecologia Vegetal, com ênfase em levantamentos florístico e fitossociológico, vegetação ripária e plantas alimentícias não convencionais (PANC, hortaliças tradicionais, hortaliças não-tradicionais).

Referências

ALVES, J. F. C.; ROCHA, D. do C. da.; SILVA, S. de C. da.; MIYAZAKI, L. C. P. Educação Ambiental aplicada ao Ensino dos Solos: O Projeto de Extensão Universitária “Educasolos” como um meio de conscientização. In: Periódico Eletrônico: Fórum Ambiental. Alta Paulista. Volume 11, Número 4. 2015. ISSN 19800827.

ANTUNES, R. L. dos S. Análise Integrada da Paisagem com aplicação do Sensoriamento Remoto na Bacia hidrográfica do Rio Botucaraí – Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Departamento de Geografia. Área de Concentração: Geografia Física. São Paulo, 2017.

BRASIL. Lei n. 9.795, de 22 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm. Acesso em: 18 mar. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 2 de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Presidente em exercício: Paschoal Laércio Armonia. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 15 jun. 2012, n. 116, Sec. 1, p. 70.

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA. Manual de hortaliças não convencionais. Brasília. 52 p., 2010.

BREDA, T. V.; ZACHARIAS, A. A. A leitura de paisagens através de trabalhos de campo: um relato da experiência vivenciado no município de Ourinhos (SP). In: Revista Geografia e Pesquisa, Ourinhos, v. 4, n. 2, p. 45-68. 2010.

CAMPOS, M.C.C. Relações solo-paisagem: conceitos, evolução e aplicações. In: Ambiência - Revista do Setor de Ciências Agrárias e Ambientais Guarapuava (PR) v.8 n.3 p. 963 - 982 Set./Dez. 2012 ISSN 1808 – 025. DOI:10.5777/ambiencia.2012.05.01rb.

DEMMER, B.C.; PEREIRA, Y.C.C. Educação ambiental e estudo da paisagem: a percepção para a responsabilidade socioambiental. In: Olhar de professor, Ponta Grossa, 14(2): 255-272, 2011. Disponível em http://www.revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor. Acesso em: 30 mar. 2020.

DICKMANN, I.; CARNEIRO, S. M. M. Educação Ambiental Freiriana. Chapecó: Livrologia, 2021. (Coleção Paulo Freire; 05).

FAO. Conexões e contribuições invisíveis da natureza para nós. 2019. Disponível em: https://www.fao.org/brasil/noticias/detail-events/pt/c/1195330/ Data de acesso: 14 nov. 2021.

FAO. Food and Agriculture Organization of the United Nations. 2015. O que você sabe sobre solos? Disponível em: https://www.fao.org/soils-2015/news/newsdetail/pt/c/339897/#:~:text=O%20solo%20%C3%A9%20um%20dos,a%20seguran%C3%A7a%20alimentar%20e%20nutricional. Data de acesso: 18 out. 2021.

FAVARIM, L. C. Representações sociais de solo e educação ambiental nas séries iniciais do ensino fundamental em Pato Branco – PR. Dissertação (Mestrado) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional. Pato Branco, PR, 2012.

FERREIRA, F. de F.; MURARI, A.L.; LIZ, A. M. Panc’s: Plantas Alimentícias Não Convencionais, consumo consciente e nutrição na escola de Ensino Fundamental. Ações de pesquisa, ensino e extensão voltados para a sociedade. In: Revista Compartilhando Saberes. PROGRAD, 2018.

KELEN, M.E.B,(Org.) et al. Plantas alimentícias não convencionais (PANCs): hortaliças espontâneas e nativas. 1. ed. -- Porto Alegre : UFRGS, 2015. ISBN 978-85-66106-63-3.

KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não Convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre – RS. Tese de Doutorado em Fitotecnia, Faculdade de Agronomia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil. Novembro de 2007.

KINUPP, V. F.; LORENZI, H. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2014.

LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. (Orgs). Repensar a Educação Ambiental: Um olhar crítico. São Paulo: Cortez, 2009.

LOUREIRO, C. F. B.; TORRES, J. R. (Orgs.). Educação ambiental: dialogando com Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2014.

LOUREIRO, C. F. et al. Sociedade e Meio Ambiente: a Educação Ambiental em debate. 7ª edição – São Paulo: Cortez, 2012.

MENDES, T. A. Educação em solos crítica: abordagem sobre a relação solo-sociedade em uma escola municipal de Pato Branco – PR. 2019. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional), Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR. Pato Branco – PR, 2019.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 28 ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

MUGGLER, C.C.; PINTO, F. de A.; SOBRINHO F. A.P.; & MACHADO, V. A. Educação em Solos: Princípios, Teoria E Métodos. In: Revista Brasileira de Ciência do Solo, 30:733-740, 2006. Seção VII - Ensino da Ciência do Solo.

OLIVEIRA, D. de. O conceito de solo sob a aparência de crianças do Ensino Fundamental nas escolas de São Paulo-SP. In: Ciência e Natura. 2014. ISSN: 0100-8307. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=4675/467546183021 Acesso em 13 jun. 2020.

PERES, W. M. T.; AZEVEDO, R. C. G. As implicações da paisagem no auxílio da Educação Ambiental. In: VII Congresso Brasileiro de Geógrafos. Agosto de 2014. Vitória/ES. ISBN: 978-85-98539-04-1.

PRIMAVESI, A. Algumas plantas indicadoras: como conhecer os problemas de um solo. 1 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2017.

RANIERI, G. (Coord.) Guia prático sobre PANC: Plantas Alimentícias Não Convencionais. 1 ed. São Paulo: Instituto Kairós, 2017.

RANIERI, G. Matos de Comer: identificação de plantas comestíveis. 1 ed. São Paulo: Ed. Do Autor, 2021.

ROSS, J.L.S. Geomorfologia: Ambiente e planejamento. São Paulo: Contexto, 2005.

SANTOS, W. A. de.; SARTORELLO, R. Percepção e paisagem no cotidiano de escolas inseridas em paisagens rurais e urbanas. In: Ciências e Educação, Bauru, v. 25, n. 4, p. 911-926, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132019000400911&tlng=pt. Acesso em 30 mar. 2020.

SANTOS, W. A. dos.; BONINI, L. M. de M.; SARTORELLO, R. Contribuições da Paisagem Rural e Urbana para Práticas Pedagógicas de Educação Ambiental. In: Periódico Eletrônico: Fórum Ambiental. Alta Paulista. Volume 13, Número 04, 2017. ISSN 1980-0827.

SOARES NETO, J.; FEITOSA, R. A.; CERQUEIRA, G. S. Contribuições de Marcos Reigota e de Paulo Freire à Práxis Pedagógica na Perspectiva da Educação Ambiental Crítica. In: Revista Educação Ambiental em Ação. ISSN 1678-0701. Número 69, Ano XVIII. Setembro-Novembro/2019. Disponível em: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3860 Acesso em 08 jun. 2020.

SOUSA, H. N.; ARAÚJO, T. K. da S.; OLIVEIRA, B. P. T. de; GUÉNEAU, S.G.E. Plantas Alimentícias Não Convencionais: Mapeamento dos atores-chave no Distrito Federal. In: Third International Conference: Agriculture and food in an urbanizing society. 2018, Porto Alegre. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.

Système de formation de formateurs à l’éducation relative à l’environnement. In: Guide pédagogique – Le paysage. Septembre/Novembre 2005. 10/119.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

TOMITA, L. M. S. Ensino de Geografia: Aprendizagem significativa por meio de Mapas Conceituais. (Tese de Doutorado) Universidade de São Paulo – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Departamento de Geografia. São Paulo, 2009.

Downloads

Publicado

2022-05-12

Como Citar

Guimarães, J., Mello, N. A. de, & Pereira, G. F. (2022). EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA: leitura da paisagem como aporte na formação continuada de professores da rede municipal. Cadernos Zygmunt Bauman, 12(28). https://doi.org/10.18764/2236-4099v12n28.2022.8